quarta-feira, 26 de abril de 2017

APELO DE EMERGÊNCIA PELA PAZ NA PENÍNSULA DA COREIA

 Considero urgente, tal como este colectivo de mulheres, que decidiu atravessar a zona desmilitarizada que divide as duas Coreias, que seja ouvido o APELO DE EMERGÊNCIA PELA PAZ NA PENÍNSULA DA COREIA.

Os riscos de guerra têm subido exponencialmente em consequência, principalmente, de uma viragem belicista do poder de Washington, acompanhada por uma salva de elogios dos media belicosos e dos políticos e dos lóbis, que de uma ou outra forma se preparam para extrair lucros de mais uma guerra do Império...

Os que empurram para a guerra argumentam com a natureza totalitária do regime notre coreano, porém estes mesmos esquecem duas simples coisas:
1- A população civil norte coreana, se houver ataques, será duramente atingida. Além disso, o regime Norte coreano, em desespero, poderá retaliar contra a população civil do Sul, visto que - no caso de haver um acto bélico - a República da Coreia (do Sul) como aliado dos EUA, estará automaticamente envolvida.

2 - O simples acto de iniciar ações bélicas, quando na realidade não existe nenhuma ação bélica oposta, por parte do Estado agredido é considerado crime de guerra. Aliás, o maior dos crimes, segundo as sentenças do tribunal de Nuremberga, que fizeram juridisção e pelos quais se reje a ONU e o Direito Internacional. 
É o maior dos crimes, pois inicia uma guerra, com todos os horrores e o espezinhar de todos os direitos humanos. 
Iniciar uma guerra, com o pretexto de «defender» os direitos humanos, é desprezar e escarnecer da humanidade.