segunda-feira, 6 de junho de 2016

Um amor verdadeiro...


O mistério de dizer o indicível, moldar o etéreo, corporizar o transcendente... ambição de todos os verdadeiros amantes. 

Um amor verdadeiro não é - nunca!- ridículo!









                        Canção* 
 
             Olhei para o mar, Amor
             e vi teus olhos
 
             Olhei para a areia, Amor
             e vi tua pele
 
             Senti o vento fresco, Amor
             e soube que eras tu
 
             Comigo passeias na praia
             comigo cantas baixinho  
 
             Contigo estou na onda, no vento
             na areia, no sol, nas aves, nas montanhas

             nos rios, nas fontes, na terra, nas árvores
             no sorriso e nas canções das crianças




*Amor, escrevi esta canção para ti, hà 22 anos! E não estou arrependido!